08/10/2016 - 13h32min - Atualizado em 08/10/2016 - 13h32min

Análise: Debate na Band escancara as diferenças entre candidatos

Enquanto dr Hildon defendia a gestão pública de resultados, Léo Moraes se mostrava um burocrata apegado às velhas práticas.

Walbran Júnior


 

O debate promovido pela Band, na noite de sexta-feira entre os candidatos dr Hildon (PSDB), vencedor do primeiro turno das eleições, e o deputado Leo Morais (PTB) serviu, sobretudo, para marcar o enorme fosso de diferença entre os dois. Nem é tanto pela idade, embora quando Leo Morais nascia lá no Paraná, na fronteiriça Foz do Iguaçu, o pernambucano Hildon Chaves já demonstrava vocação para a política, iniciando-se como liderança nos movimentos estudantis.

O que sobressaiu foi a diferença de percepção sobre o que fazer no comando de uma prefeitura. Enquanto que dr Hildon defendia com muita convicção práticas modernas de gestão pública, como a formação de Parcerias Públicas Privadas para a realização de serviços como a implantação do serviço de esgoto sanitário, ampliação da rede de água tratada e para iluminação pública, Leo Morais insistia em recuperação da Caerd, empresa cinquentenária que há cerca de duas décadas se vê as voltas com o fantasma da insolvência, incapaz hoje de resolver pequenos problemas de vazamentos nos canos pelos quatro cantos da cidade.

A visão moderna e futurista do candidato dr Hildon contrastava a todo tempo com o pensamento atávico do candidato Leo Morais, preso às convenções burocráticas da velha prática política. Mais um exemplo clássico entre os dois, foi no debate sobre a viabilização de creches. De um lado, o dr Hildon acelerando soluções, defendeu oferecimento imediato desse serviço às mães que precisam trabalhar, mas não tem onde e nem com quem deixar seus filhos pequenos, seja por meio de adaptação de prédios, aluguéis, etc, até que sejam construídas novas unidades.

De outro, a visão burocrata, dificultando soluções, ao ver apenas problemas. Leo reclamou que o município não dispõe de terrenos ociosos e legalizados para a construção. Para ele atender essas centenas de mães, teria, primeiro, que desapropriar terrenos, indenizar os proprietários, ou então, ir ao governo federal, pedir áreas públicas federais, legaliza-las, licita-las e só então começar a construir, ou seja, uma não solução burocrática que consumiria um mandato praticamente todo.

Outra gritante diferença é a de estilos. Enquanto que o dr Hildon mostrava-se seguro e compenetrado nas questões a serem debatidas, Leo Moraes, claramente ansioso, demonstrando insegurança, partia o tempo todo para o ataque. Dr Hildon acenava com a paz, Leo Moraes respondia com artilharia pesada. Tanto que, se viu obrigado a ceder um direito de resposta ao fazer ilações sobre a saída do promotor Hildon Chaves do Ministério Público.

Com um documento da Corregedoria Geral do MP em mãos, embora não pudesse ser exibido pelas regras do debate, dr Hildon provou que pediu exoneração no dia 26 de agosto de 2013, após 21 anos de serviço, sem que tivesse respondido a nenhum processo administrativo e disciplinar.

No tema sobre política de geração de oportunidades econômicas para a cidade, dr Hildon externou sua confiança no sucesso do agronegócio, por meio do projeto de construção de uma central de abastecimentos nos moldes das ceasas existentes em todo o país. Já Leo Moraes defendeu unicamente o fomento à agricultura familiar por meio de política assistencialista, aquela que alimenta apenas o pequeno agricultor, discordando da visão estratégica do candidato tucano de transformar Porto Velho no mais importante entreposto de abastecimento de alimentos para toda a região, com ênfase para Manaus, um mercado de dois milhões de consumidores, ou quase quatro vezes a população portovelhense.

Mas não foram apenas os arroubos que marcaram a participação do candidato do PTB. Também foi hilário e contribuiu para o bom humor em alguns momentos, como o em que, após discorrer sobre as escolas que estudou quando criança, todas da mais alta elite portovelhense, saiu-se com essa: “eu tenho o cheiro do povo”. Risada geral. Por fim, Sem nunca ter posto os pés numa unidade de saúde pública na condição de paciente, incluiu-se entre os que padecem pelo deficiente serviço oferecido nas unidades de saúde do município.

Leia também:

comentários

COMENTÁRIOS


Avatar de HENRY

Postado por HENRY em 10/10/2016 às 09:53

O município tem que chamar pra si a responsabilidade do fornecimento de água, a qual foi transferida a CAERD na esperança de que esta prestasse um serviço de qualidade a população, o que certamente não ocorreu durante todos esses anos de concessão.Assim, não mais justificará a permanência da CAERD, cujos gastos com pessoal superam a de muitos órgãos da Administração Pública Estadual e Municipal.

177.15.120.2
Avatar de ALZIRO ZARUR MACHADO

Postado por ALZIRO ZARUR MACHADO em 08/10/2016 às 22:57

voce pediu autorização do fogaça para atacar o candidato dele?sei que não vai publicar mas a intenção é chamar sua atenção rubinho.esse texto é ridículo.voce que vive de pequenos contratos com orgãos públicos defedendo hildom que representa o empresariado e a entrega do patrimonio publico....te orienta rubens coutinho. eu não voto em nenhum dos dois pois sei que sao farinha do mesmo saco...

177.127.147.133
Avatar de ORLANDO SOUZA

Postado por ORLANDO SOUZA em 08/10/2016 às 21:39

A midia em hipotese nenhuma deveria tomar partido, ser tendenciosa pra este ou aquele lado, por isto que a credibilidade de voces midia, para quem não é boi de piranha ou alienado despenca cada dia que passa, que imprensa sem critério esta nossa.

191.222.167.111
Avatar de VIEIRA

Postado por VIEIRA em 08/10/2016 às 19:58

Creio que o Autor da matéria assistiu a outro debate e não o de ontem na Band. entre Léo Moraes e Hildon Chaves. Walbran Junior vc não é sério.

191.223.89.164
Avatar de ROBERTO NATALICIO FERREIRA

Postado por ROBERTO NATALICIO FERREIRA em 08/10/2016 às 17:49

A mim, pareceu-me um debate entre um político preparado e sério, e um empresário que fala feito um advogado que só sabe falar bonito. Quanto a demissão, a pedido, do Hildon da Promotoria, faltou ele explicar que a Corregedoria colocou o Hildon contra a parede: - Ou trabalha na Promotoria, ou assume logo tuas empresas, já que é lá que você passa seu tempo e dedica seu esforço. E o Promotor Hildon pediu demissão. Por que, agora, ele irá fazer o que nunca fez antes: Dedicar-se ao serviço público...

179.253.139.57

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
GERAL | matéria escrita em 20/01/2017 ás 10:55:00

IFRO divulga data de convocação para reunião de manifestação de interesse em vagas remanescentes do PSU 2017/1

Será publicada na sexta-feira (20 de janeiro), após as 14h no site do IFRO.

POLíTICA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 10:41:00

Jesuíno Boabaid recebe denúncias de precariedade no 5º BPM

​Policiais reclamam das péssimas condições dos banheiros da instituição.

POLíTICA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 10:26:00

Quero um emprego!

Por Professor Nazareno

POLíTICA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 10:21:00

​Tá igual cego em tiroteio

Gessi Taborda 

POLíCIA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 10:07:00

Irmãos ficam lesionados após golpes de facão durante desentendimento com vizinho na Zona Leste de Porto Velho

Os policiais mantiveram contato com o agressor que saiu de sua residência e confessou o que fez.

GERAL | matéria escrita em 20/01/2017 ás 10:06:00

Mãe e filha estavam em avião de empresário que caiu em Paraty

A mãe era professora de educação infantil e veio de Juína, no Mato Grosso, para visitar a filha em São Paulo. Carlos Alberto, segundo a nota do grupo Emiliano, as convidou para o fim de semana em Paraty

POLíCIA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:43:00

Homem é preso acusado de realizar vários furtos em lojas no Porto Velho Shopping

De acordo com com informações que constam no boletim de ocorrência, o suspeito havia feito vários furtos de relógios e óculos, e quando deixou a loja, funcionários o observaram pelas câmeras de segurança.

POLíCIA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:46:00

Policiais civis aposentados poderão atuar na Força Nacional de Segurança

Ainda segundo o edital, a colaboração voluntária poderá ser individual ou em grupo, em ambiente fechado ou aberto, a pé ou com emprego de viaturas, nos períodos diurno, noturno ou em revezamento de turnos e sempre sob supervisão permanente.

GERAL | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:44:00

Correios vão operar na área de telefonia móvel

No primeiro ano de operação, a empresa vai oferecer somente planos pré-pagos, chips e recargas, mas estuda a viabilidade da oferta de planos pós-pagos a partir de 2018.

POLíTICA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:42:00

Filho de Teori Zavascki descarta, no momento, sabotagem em acidente aéreo

Em conversa por telefone com a Agência Brasil, o advogado contou que ficou sabendo da tragédia por meio do grupo da família no aplicativo de mensagens WhatsApp.

POLíTICA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:40:00

Cármen Lúcia diz que ainda não analisou como ficará andamento da Lava Jato

Com a morte de um ministro, o Artigo 38 do Regimento Interno do Supremo prevê que os processos deverão ser herdados pelo juiz que ocupar a vaga.

POLíTICA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:37:00

Teori estava prestes a homologar delações de executivos da Odebrecht

Na sua última entrevista antes do acidente, no dia 19 de dezembro, Teori disse que iria trabalhar durante o recesso para analisar os depoimentos.

POLíCIA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:35:00

Morte do ministro Teori: Bombeiros resgatam mais dois corpos de avião que caiu em Paraty

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal estão investigando o acidente.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:23:00

Teori Zavascki foi ministro do STF por quatro anos

Teori Zavascki tinha 68 anos. Nasceu em 15 de agosto de 1948, em Faxinal dos Guedes (SC). Viúvo desde 2013, ele deixa três filhos.

POLíCIA | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:00:00

Foragido da justiça é preso após furtar motocicleta

Ele saiu empurrando a moto e foi seguido por populares até a Avenida Jorge Teixeira, em frente a Rodoviária.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2016 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com