08/06/2009 - 15h52min - Atualizado em 08/06/2009 - 15h52min

BR-319 pode não ser reconstruída por causa de um pássaro

Reforma de rodovia no AM ameaça nova espécie de gralha, alerta cientista. BR-319 cruza campos onde vive ave ainda desconhecida.

Iberê Thenório Do Globo Amazônia, em São Paulo

 

Uma gralha recém-descoberta no estado do Amazonas ainda nem foi batizada pelos cientistas, mas já está ameaçada. Ela só vive em um ambiente peculiar que margeia a rodovia BR-319, que liga Porto Velho, em Rondônia, a Manaus, no Amazonas.

 

Veja álbum de fotos dos animais dos campos amazônicos .

Atualmente, a estrada está abandonada e intransitável, mas sua reforma está dentro do cronograma do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). Com a rodovia voltando a funcionar, a ave tende a desaparecer, pois pode não resistir às queimadas e desmatamentos que começarão a ocorrer na região.

 

Foto: Mario Cohn-Haft/Arquivo Pessoal

Nova espécie vive nas bordas dos campos naturais amazônicos que margeiam a rodovia Manaus-Porto Velho. (Foto: Mario Cohn-Haft/Arquivo Pessoal)

Quem faz o alerta é o ornitólogo – especialista em aves – que descobriu a nova espécie, Mario Cohn-Haft. “Levando em consideração os precedentes que temos na Amazônia, a ameaça é enorme”, afirma o pesquisador, que trabalha no Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia).


“Todos os exemplos que temos de asfaltamento de estradas na Amazônia levaram a muita degradação ambiental. Não temos porque acreditar que neste caso será diferente. Só que ao longo da BR-319 perderemos animais e plantas que não ocorrem em nenhum outro lugar do planeta”, alerta. 

Entre a floresta e o cerrado

A nova gralha descoberta vive entre os rios Madeira e Purus, justamente no traçado da BR-319. Como outras gralhas, é grande em relação a outros pássaros, colorida, barulhenta e anda em bandos. Ela habita as bordas dos grandes campos naturais que ocorrem na região, em uma faixa estreita de vegetação que é uma mistura entre cerrado e floresta.

Segundo Cohn-Haft, são justamente essas matas ralas beirando o campo que tendem a desaparecer se começarem a ocorrer queimadas na região. “A ave depende totalmente dessa vegetação única. Quando se queima o campo, é eliminada a transição e é acentuada a diferença entre campo e mata”, explica.

Os hábitos da gralha foram estudados a fundo pelo pesquisador Marcelo Augusto Santos Jr, orientado por Cohn-Haft. Ele descobriu que a ave coloca seu ninho sempre próximo à margem dos campos, em capões de mata. Somando toda a área que pode ser ocupada pela espécie, concluiu-se que esse espaço é tão pequeno que a ave já pode ser considerada vulnerável à extinção.

Com a ocupação da estrada, essa ameaça torna-se real. “Só se precisa permitir que gente chegue perto para destruir o ambiente dela. O ser humano parece não saber conviver com campos naturais sem queimá-los. Os campos próximos à cidade de Humaitá, por exemplo, não hospedam a gralha porque queimam todo ano”, diz Cohn-Haft. 

 

Foto: Mario Cohn-Haft

Parte dos campos amazônicos já está sendo destruída. (Foto: Mario Cohn-Haft)

Aventura amazônica

A descoberta da nova ave fez parte de uma via-crúcis que o cientista fez pelo Amazonas em busca dos campos da região. Desde a década de 1990, ele olhava os mapas e desconfiava de que espécies novas poderiam ocorrer nos campos entre os rios Madeira e Purus, mas o acesso ao local era inviável. Não havia estradas nem rios que ajudassem a chegar lá.

“Em 1997, convenci alguns amigos a rachar umas horas de vôo, para ver de perto. Acho que fomos os primeiros cientistas a ver aqueles campos. Não havia nenhum sinal de gente, estava muito longe de tudo. Ainda hoje, essas campinas são muito pouco estudadas”, relata.

Depois, disso, o pesquisador tentou chegar a esses campos por terra. Foram três tentativas frustradas. “Sempre alguma coisa dava errado. O carro quebrou, caiu o hélice da canoa, e na terceira tentativa, tivemos que dormir no chão do mato antes de finalmente chegar, no dia seguinte.”

O perrengue, contudo, valeu a pena. Em 2003, o ornitólogo viu pela primeira vez a gralha desconhecida, mas não conseguiu chegar perto dela. Foi apenas em 2005, depois de caminhar mais de 18 quilômetros em uma estrada de terra em que o carro não conseguiu entrar, que Cohn-Haft pôde capturar a ave e compará-la com as espécies já estudadas. Foi só então que ele conseguiu comprovar tratar-se de um animal jamais visto. 

Espécies inéditas

A região cortada pela BR-319 é uma das mais preservadas da Amazônia, mas também uma das menos estudadas pelos cientistas. Segundo o especialista do Inpa, há várias outras espécies de plantas e animais que já foram descobertos na região, mas ainda nem foram nomeados. “Se nos poucos trabalhos que desenvolvemos na região já encontramos três aves, um macaco e uma palmeira, todos novos para a ciência, é muito natural supor que ainda tem muita coisa a ser descoberta nesse lugar”, prevê.

comentários
publicidade

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
GERAL | matéria escrita em 27/05/2016 ás 05:53:00

MPT processa companhia do Governo de Rondônia por fraude na contratação de empregados públicos

Processo judicial prevê multa de mais de R$ 5 milhões pela ausência de realização de concurso público na companhia.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/05/2016 ás 05:27:00

Justiça proíbe Sindicato da Polícia Civil de promover "desordem" na Rondônia Rural Show

Policiais protestam contra a justiça usando mordaça e nariz de palhaço dentro da feira de negócios que acontece na cidade de Ji-paraná.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/05/2016 ás 04:59:00

CNJ Serviço: Saiba a diferença entre comarca, vara, entrância e instância

Esclarecer os significados e diferenças entre esses conceitos é o objetivo do CNJ Serviço desta semana.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/05/2016 ás 04:56:00

Juiz pode ser sócio em instituição de ensino preparatória para exame da OAB

O artigo 36 da Loman proíbe o juiz de exercer o comércio ou participar de sociedade comercial, inclusive de economia mista, exceto como acionista ou quotista.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/05/2016 ás 04:52:00

Teletrabalho implantado pelo tribunal cearense supera expectativas

No total, 19 servidores fazem parte do projeto piloto. Os que atuam exclusivamente de forma presencial na Diretoria Cível do 1º Grau devem atingir meta mensal de 500 atos ou movimentações nos processos de sua responsabilidade.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/05/2016 ás 04:47:00

CNJ apresenta nova versão do PJe mais leve e fácil de usar

Inicialmente, a nova versão estará disponível apenas a usuários de processos que tramitam no CNJ. No final de junho, a ferramenta deverá estar disponível para testes nos tribunais de todo o país.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/05/2016 ás 04:34:00

Pesquisa Pronta apresenta exceções à inviolabilidade de domicílio

O entendimento do STJ foi aplicado em julgamento de caso no qual um grupo de pessoas foi preso em flagrante com 170 embalagens de cocaína.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/05/2016 ás 04:30:00

Corte Especial decide que honorários altos de advogado podem ser penhorados

A empresa alegou que a decisão colegiada da Segunda Turma do STJ determinando a retenção dos honorários divergia do entendimento da Terceira Turma do STJ, no sentido de que os honorários são impenhoráveis.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/05/2016 ás 04:24:00

Prazo para manter nome em cadastro de consumo conta da data do vencimento da dívida, não da data da inscrição

Para o relator do recurso, ministro João Otávio de Noronha, o termo inicial da contagem do prazo deveria ser o da data do registro, mas esse entendimento foi vencido pela divergência ...

GERAL | matéria escrita em 25/05/2016 ás 13:59:00

Espaço empresarial internacional prospecta realização de negócios na Rondônia Rural Show

Com estimativa de público de 80 mil visitantes, a 5ª Rondônia Rural Show começou nesta quarta-feira (25) no Parque Hermínio Victorelli em Ji-Paraná (RO).

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 25/05/2016 ás 13:55:00

Mantida justa causa de bancária do Santander demitida por inadimplência contumaz

Demitida pelo Banco Santander S.A. por inadimplência contumaz de dívidas, uma coordenadora de operações não conseguiu reverter a justa causa na Justiça do Trabalho.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 25/05/2016 ás 13:52:00

Mantida contribuição de trabalhadores temporários para sindicato dos tomadores de serviço

A Subseção I Especializada em Dissídios Individuais do Tribunal Superior do Trabalho (SDI-1) rejeitou agravo do Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros...

GERAL | matéria escrita em 25/05/2016 ás 13:47:00

Neurocirurgia do HB impressiona médicos paulistas

Equipe de São Paulo esteve em Porto Velho para realizar cirurgia e se surpreendeu com a estrutura de neurocirurgia disponível em Rondônia.

POLíTICA | matéria escrita em 25/05/2016 ás 13:40:00

Vereador Júnior Siqueira solicita ao prefeito de Porto Velho para sancionar projeto de lei

Projeto dispõe sobre a instalação de fonte alternativa de energia fotovoltaico para iluminação em prédios públicos, praças, escolas e unidades de saúde.

GERAL | matéria escrita em 25/05/2016 ás 13:36:00

Caerd migra para a nova versão do Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento

Entre os dias 1º e 2 de junho de 2016, funcionários do Sistema de Informação executarão as mudanças na plataforma GSAN e o acesso pela Internet ficará indisponível por 48 horas.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com