08/06/2009 - 15h52min - Atualizado em 08/06/2009 - 15h52min

BR-319 pode não ser reconstruída por causa de um pássaro

Reforma de rodovia no AM ameaça nova espécie de gralha, alerta cientista. BR-319 cruza campos onde vive ave ainda desconhecida.

Iberê Thenório Do Globo Amazônia, em São Paulo

 

Uma gralha recém-descoberta no estado do Amazonas ainda nem foi batizada pelos cientistas, mas já está ameaçada. Ela só vive em um ambiente peculiar que margeia a rodovia BR-319, que liga Porto Velho, em Rondônia, a Manaus, no Amazonas.

 

Veja álbum de fotos dos animais dos campos amazônicos .

Atualmente, a estrada está abandonada e intransitável, mas sua reforma está dentro do cronograma do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). Com a rodovia voltando a funcionar, a ave tende a desaparecer, pois pode não resistir às queimadas e desmatamentos que começarão a ocorrer na região.

 

Foto: Mario Cohn-Haft/Arquivo Pessoal

Nova espécie vive nas bordas dos campos naturais amazônicos que margeiam a rodovia Manaus-Porto Velho. (Foto: Mario Cohn-Haft/Arquivo Pessoal)

Quem faz o alerta é o ornitólogo – especialista em aves – que descobriu a nova espécie, Mario Cohn-Haft. “Levando em consideração os precedentes que temos na Amazônia, a ameaça é enorme”, afirma o pesquisador, que trabalha no Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia).


“Todos os exemplos que temos de asfaltamento de estradas na Amazônia levaram a muita degradação ambiental. Não temos porque acreditar que neste caso será diferente. Só que ao longo da BR-319 perderemos animais e plantas que não ocorrem em nenhum outro lugar do planeta”, alerta. 

Entre a floresta e o cerrado

A nova gralha descoberta vive entre os rios Madeira e Purus, justamente no traçado da BR-319. Como outras gralhas, é grande em relação a outros pássaros, colorida, barulhenta e anda em bandos. Ela habita as bordas dos grandes campos naturais que ocorrem na região, em uma faixa estreita de vegetação que é uma mistura entre cerrado e floresta.

Segundo Cohn-Haft, são justamente essas matas ralas beirando o campo que tendem a desaparecer se começarem a ocorrer queimadas na região. “A ave depende totalmente dessa vegetação única. Quando se queima o campo, é eliminada a transição e é acentuada a diferença entre campo e mata”, explica.

Os hábitos da gralha foram estudados a fundo pelo pesquisador Marcelo Augusto Santos Jr, orientado por Cohn-Haft. Ele descobriu que a ave coloca seu ninho sempre próximo à margem dos campos, em capões de mata. Somando toda a área que pode ser ocupada pela espécie, concluiu-se que esse espaço é tão pequeno que a ave já pode ser considerada vulnerável à extinção.

Com a ocupação da estrada, essa ameaça torna-se real. “Só se precisa permitir que gente chegue perto para destruir o ambiente dela. O ser humano parece não saber conviver com campos naturais sem queimá-los. Os campos próximos à cidade de Humaitá, por exemplo, não hospedam a gralha porque queimam todo ano”, diz Cohn-Haft. 

 

Foto: Mario Cohn-Haft

Parte dos campos amazônicos já está sendo destruída. (Foto: Mario Cohn-Haft)

Aventura amazônica

A descoberta da nova ave fez parte de uma via-crúcis que o cientista fez pelo Amazonas em busca dos campos da região. Desde a década de 1990, ele olhava os mapas e desconfiava de que espécies novas poderiam ocorrer nos campos entre os rios Madeira e Purus, mas o acesso ao local era inviável. Não havia estradas nem rios que ajudassem a chegar lá.

“Em 1997, convenci alguns amigos a rachar umas horas de vôo, para ver de perto. Acho que fomos os primeiros cientistas a ver aqueles campos. Não havia nenhum sinal de gente, estava muito longe de tudo. Ainda hoje, essas campinas são muito pouco estudadas”, relata.

Depois, disso, o pesquisador tentou chegar a esses campos por terra. Foram três tentativas frustradas. “Sempre alguma coisa dava errado. O carro quebrou, caiu o hélice da canoa, e na terceira tentativa, tivemos que dormir no chão do mato antes de finalmente chegar, no dia seguinte.”

O perrengue, contudo, valeu a pena. Em 2003, o ornitólogo viu pela primeira vez a gralha desconhecida, mas não conseguiu chegar perto dela. Foi apenas em 2005, depois de caminhar mais de 18 quilômetros em uma estrada de terra em que o carro não conseguiu entrar, que Cohn-Haft pôde capturar a ave e compará-la com as espécies já estudadas. Foi só então que ele conseguiu comprovar tratar-se de um animal jamais visto. 

Espécies inéditas

A região cortada pela BR-319 é uma das mais preservadas da Amazônia, mas também uma das menos estudadas pelos cientistas. Segundo o especialista do Inpa, há várias outras espécies de plantas e animais que já foram descobertos na região, mas ainda nem foram nomeados. “Se nos poucos trabalhos que desenvolvemos na região já encontramos três aves, um macaco e uma palmeira, todos novos para a ciência, é muito natural supor que ainda tem muita coisa a ser descoberta nesse lugar”, prevê.

comentários

COMENTÁRIOS


publicidade
GERAL | matéria escrita em 28/09/2016 ás 05:52:00

Suposto assédio moral prejudica profissionais no DER e caso vai parar na polícia

De acordo com o boletim, o chefe do DER teria usado palavras ofensivas contra o servidor: “Seu velho inútil e vagabundo’’.

POLíCIA | matéria escrita em 28/09/2016 ás 05:40:00

Briga de garçonetes no "Anacondas" quase termina em morte

Durante o expediente do bar, as duas se desentenderam quando estavam atendendo um cliente, e entraram em luta corporal .

POLíCIA | matéria escrita em 28/09/2016 ás 04:54:00

Homem é morto com tiros nas costas na zona leste de Porto Velho

Uma guarnição da PM se deslocou para o local e no caminho encontrou com os suspeitos em fuga.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/09/2016 ás 22:48:00

STF recebe denúncia contra senadora Gleisi Hoffmann e ex-ministro Paulo Bernardo

O dinheiro, de acordo com a denúncia, seria oriundo de esquema de corrupção e lavagem de dinheiro estabelecido na Diretoria de Abastecimento da Petrobras.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/09/2016 ás 22:45:00

É incabível revisão de cláusulas contratuais na ação de prestação de contas

O recurso especial julgado pela seção teve origem em processo de prestação de contas no qual uma dona de casa pedia que uma instituição bancária apresentasse os demonstrativos de movimentação financeira desde a abertura da conta corrente...

POLíTICA | matéria escrita em 27/09/2016 ás 22:41:00

TSE mantém registro de candidato a vereador acusado de ser analfabeto

A relatora, ministra Luciana Lóssio, havia votado anteriormente pelo indeferimento da candidatura, uma vez que a Constituição Federal estabelece que o analfabeto pode votar mas não pode receber votos ...

POLíTICA | matéria escrita em 27/09/2016 ás 20:04:00

Resenha Política

Robson Oliveira

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/09/2016 ás 19:56:00

Banca de Advocacia Renan Maldonado considera reintegração de Delegado mais do que justa

A decisão foi obtida por meio de recurso ao Tribunal de Justiça, o qual concedeu a reintegração imediata do Delegado aos quadros da Polícia Civil.

POLíTICA | matéria escrita em 27/09/2016 ás 17:38:00

Deputado lamenta morte de sargento da PM em Porto Velho

O parlamentar lembrou o tempo em que trabalhou com o policial, a quem se referiu como sendo um servidor esforçado, dedicado e que dava o sangue pela PM de Rondônia.

POLíTICA | matéria escrita em 27/09/2016 ás 17:35:00

Assembleia Legislativa lamenta morte de estudante de Medicina da São Lucas. Jovem era filha do ex-deputado Edésio Martelli

A Mesa Diretora externa solidariedade e dos demais parlamentares com o falecimento de Késia Martelli, e pede a Deus que conforte a família nesse momento de dor.

POLíTICA | matéria escrita em 27/09/2016 ás 17:29:00

Sintero orienta professores estaduais a não assinarem o novo modelo de folha de ponto

Na tentativa de fiscalizar o cumprimento da carga horária dos professores por orientação do Ministério Público, a Seduc acaba infringindo a legislação ...

POLíTICA | matéria escrita em 27/09/2016 ás 16:36:00

Mais um pedido de vista suspende novamente julgamento do recurso de Roberto sobrinho no TRE

O relator do recurso de Roberto Sobrinho (PT), candidato à prefeitura de Porto Velho, juiz Armando Reigota Filho, votou pela inelegibilidade de Roberto. Três juízes anteciparam o voto pelo indeferimento do registro.

GERAL | matéria escrita em 27/09/2016 ás 12:50:00

Um agente do mundo dos malditos

Doutor, professor, astronauta, ou juiz de distrito... Mas, “o pior de todos os analfabetos... É o analfabeto político”

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/09/2016 ás 12:47:00

Agravo contra decisão monocrática em matéria penal ou processual penal não segue regras do novo CPC

...referentes à contagem dos prazos em dias úteis e ao estabelecimento de prazo de 15 dias para todos os recursos, com exceção dos embargos de declaração.

GERAL | matéria escrita em 27/09/2016 ás 12:35:00

Estudantes da capital participam de simulado nacional aos moldes do Enem

O sonho de ingressar no Ensino Superior é almejado por muitos estudantes e pode se tornar realidade...

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com