08/06/2009 - 15h52min - Atualizado em 08/06/2009 - 15h52min

BR-319 pode não ser reconstruída por causa de um pássaro

Reforma de rodovia no AM ameaça nova espécie de gralha, alerta cientista. BR-319 cruza campos onde vive ave ainda desconhecida.

Iberê Thenório Do Globo Amazônia, em São Paulo

 

Uma gralha recém-descoberta no estado do Amazonas ainda nem foi batizada pelos cientistas, mas já está ameaçada. Ela só vive em um ambiente peculiar que margeia a rodovia BR-319, que liga Porto Velho, em Rondônia, a Manaus, no Amazonas.

 

Veja álbum de fotos dos animais dos campos amazônicos .

Atualmente, a estrada está abandonada e intransitável, mas sua reforma está dentro do cronograma do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). Com a rodovia voltando a funcionar, a ave tende a desaparecer, pois pode não resistir às queimadas e desmatamentos que começarão a ocorrer na região.

 

Foto: Mario Cohn-Haft/Arquivo Pessoal

Nova espécie vive nas bordas dos campos naturais amazônicos que margeiam a rodovia Manaus-Porto Velho. (Foto: Mario Cohn-Haft/Arquivo Pessoal)

Quem faz o alerta é o ornitólogo – especialista em aves – que descobriu a nova espécie, Mario Cohn-Haft. “Levando em consideração os precedentes que temos na Amazônia, a ameaça é enorme”, afirma o pesquisador, que trabalha no Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia).


“Todos os exemplos que temos de asfaltamento de estradas na Amazônia levaram a muita degradação ambiental. Não temos porque acreditar que neste caso será diferente. Só que ao longo da BR-319 perderemos animais e plantas que não ocorrem em nenhum outro lugar do planeta”, alerta. 

Entre a floresta e o cerrado

A nova gralha descoberta vive entre os rios Madeira e Purus, justamente no traçado da BR-319. Como outras gralhas, é grande em relação a outros pássaros, colorida, barulhenta e anda em bandos. Ela habita as bordas dos grandes campos naturais que ocorrem na região, em uma faixa estreita de vegetação que é uma mistura entre cerrado e floresta.

Segundo Cohn-Haft, são justamente essas matas ralas beirando o campo que tendem a desaparecer se começarem a ocorrer queimadas na região. “A ave depende totalmente dessa vegetação única. Quando se queima o campo, é eliminada a transição e é acentuada a diferença entre campo e mata”, explica.

Os hábitos da gralha foram estudados a fundo pelo pesquisador Marcelo Augusto Santos Jr, orientado por Cohn-Haft. Ele descobriu que a ave coloca seu ninho sempre próximo à margem dos campos, em capões de mata. Somando toda a área que pode ser ocupada pela espécie, concluiu-se que esse espaço é tão pequeno que a ave já pode ser considerada vulnerável à extinção.

Com a ocupação da estrada, essa ameaça torna-se real. “Só se precisa permitir que gente chegue perto para destruir o ambiente dela. O ser humano parece não saber conviver com campos naturais sem queimá-los. Os campos próximos à cidade de Humaitá, por exemplo, não hospedam a gralha porque queimam todo ano”, diz Cohn-Haft. 

 

Foto: Mario Cohn-Haft

Parte dos campos amazônicos já está sendo destruída. (Foto: Mario Cohn-Haft)

Aventura amazônica

A descoberta da nova ave fez parte de uma via-crúcis que o cientista fez pelo Amazonas em busca dos campos da região. Desde a década de 1990, ele olhava os mapas e desconfiava de que espécies novas poderiam ocorrer nos campos entre os rios Madeira e Purus, mas o acesso ao local era inviável. Não havia estradas nem rios que ajudassem a chegar lá.

“Em 1997, convenci alguns amigos a rachar umas horas de vôo, para ver de perto. Acho que fomos os primeiros cientistas a ver aqueles campos. Não havia nenhum sinal de gente, estava muito longe de tudo. Ainda hoje, essas campinas são muito pouco estudadas”, relata.

Depois, disso, o pesquisador tentou chegar a esses campos por terra. Foram três tentativas frustradas. “Sempre alguma coisa dava errado. O carro quebrou, caiu o hélice da canoa, e na terceira tentativa, tivemos que dormir no chão do mato antes de finalmente chegar, no dia seguinte.”

O perrengue, contudo, valeu a pena. Em 2003, o ornitólogo viu pela primeira vez a gralha desconhecida, mas não conseguiu chegar perto dela. Foi apenas em 2005, depois de caminhar mais de 18 quilômetros em uma estrada de terra em que o carro não conseguiu entrar, que Cohn-Haft pôde capturar a ave e compará-la com as espécies já estudadas. Foi só então que ele conseguiu comprovar tratar-se de um animal jamais visto. 

Espécies inéditas

A região cortada pela BR-319 é uma das mais preservadas da Amazônia, mas também uma das menos estudadas pelos cientistas. Segundo o especialista do Inpa, há várias outras espécies de plantas e animais que já foram descobertos na região, mas ainda nem foram nomeados. “Se nos poucos trabalhos que desenvolvemos na região já encontramos três aves, um macaco e uma palmeira, todos novos para a ciência, é muito natural supor que ainda tem muita coisa a ser descoberta nesse lugar”, prevê.

comentários

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 17:15:00

Deputado Lúcio Mosquini recorre ao presidente Temer

Mosquini considera um "duro golpe" na agricultura rondoniense a importação de café do Vietnã e outros países asiáticos, se autorizada pelo Ministério da Agricultura.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 17:10:00

Mariana Carvalho destina recursos para  saúde

Em documento encaminhado ao prefeito Hildon Chaves (PSDB), a congressista detalha onde serão aplicados os investimentos.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 17:04:00

Cleiton Roque disponibiliza R$ 40 mil para programa de Guarda Mirim em Pimenta

Em reunião com demais autoridades, foram discutidos os problemas e soluções para a segurança pública do município.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:58:00

Lazinho repudia redução de imposto para importação de café

Medida foi solicitada pelo Ministério da Agricultura e aprovada pela Gecex.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:54:00

Laerte reclama da falta de perícias médicas em Ji-Paraná

Aproximadamente 500 pessoas são encaminhadas para atendimento em Porto Velho devido a falta da tecnologia.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:52:00

Airton Gurgacz ressalta questão da violência contra escolas em Ji-Paraná

Parlamentar destacou reunião ocorrida na cidade para encontrar solução contra vandalismo.

GERAL | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:49:00

Prefeito anuncia criação de órgão para cuidar dos gastos públicos

Medida vai gerar economia e melhor qualidade dos serviços prestados à população.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:43:00

DER atende Jean Oliveira e começa recuperação da Linha 47,5

Centenas de famílias de produtores são beneficiadas a pedido do parlamentar.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:35:00

Aélcio da TV faz parceria com Semed para construção de salas de aulas em escolas da capital

Atualmente Prefeitura de Porto Velho paga em média R$ 7 milhões por ano em alugueis de escolas e creches.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:29:00

Deputado Lazinho cobra conclusão da sede da Unisp em Jaru

Garantia é de que a obra será entregue no segundo semestre deste ano.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:25:00

Anderson do Singeperon apóia projetos de capacitação a servidores

Parlamentar ajudará a viabilizar a especialização lato sensu em Gestão Penitenciária.

GERAL | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:21:00

Eletrobras Eletronorte abre inscrições para Programa de Estágio 2017

Para jornada de 4h diárias e 20h semanais o estagiário de nível médio/nível médio técnico profissionalizante terá direito à bolsa estágio no valor de R$ 354,64...

GERAL | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:09:00

Incra/RO faz chamada pública a servidores da transposição

A chamada é para os servidores transpostos que tenham interesse em atuar no órgão.

GERAL | matéria escrita em 21/02/2017 ás 16:02:00

RESPONSABILIDADE FISCAL- Prefeito de Porto Velho mostra preocupações a conselheiros do Tribunal de Contas

Perspectivas sobre crescimento da folha e das despesas do Ipam foramdois exemplos relatados.

POLíTICA | matéria escrita em 21/02/2017 ás 15:55:00

Cleiton Roque provoca debate sobre segurança pública

O aumento de efetivo para as polícias Militar e Civil foram demandas apresentadas.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com