06/01/2017 - 11h14min - Atualizado em 06/01/2017 - 11h14min

Concessionária de energia elétrica deve entregar documentos para investigação relacionada à Lava Jato

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve decisão que determinou à Companhia Hidrelétrica Teles Pires S.A. (CHTP), concessionária de energia elétrica, a entrega de aparelhos eletrônicos e celulares, além de documentos contábeis.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve decisão que determinou à Companhia Hidrelétrica Teles Pires S.A. (CHTP), concessionária de energia elétrica, a entrega de aparelhos eletrônicos e celulares, além de documentos contábeis, financeiros e comerciais que vêm sendo requeridos judicialmente pela Eletrobras – Centrais Elétricas Brasileiras S.A.

Por meio de duas subsidiárias (Furnas e Eletrosul), a Eletrobras tem participação indireta no capital da CHTP, que também conta entre seus acionistas com a Odebrecht Participações e Investimentos. A Eletrobras fundamentou seu pedido de exibição de documentos nas informações sobre ocorrência de corrupção em obras de infraestrutura no setor elétrico, muitas delas desenvolvidas pelas mesmas empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato.

Segundo a Eletrobras, para atender às exigências de seus auditores independentes, com vistas à elaboração das demonstrações financeiras dos exercícios de 2014 e 1015, foi contratada uma investigação particular, daí a ação de exibição de documentos ajuizada contra a CHTP. O objetivo da investigação, explicou a Eletrobras, é verificar eventuais afrontas às leis contra corrupção do  Brasil e dos Estados Unidos, já que a empresa tem ações negociadas na Bolsa de Nova York.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) deferiu liminar para a entrega dos documentos, entendendo que os dados são notadamente empresariais, relacionados com os objetivos sociais e obrigações legais quanto aos resultados, demonstrações financeiras, comunicados de gestão e transparência devida ao mercado, aos investidores, acionistas e à sociedade.

Desvio de foco

No pedido de suspensão de liminar dirigido ao STJ, a CHTP sustentou que a Eletrobras estaria utilizando um estratagema para desviar o foco de investigação a que vem sendo submetida no âmbito da Lava Jato, uma vez que nem sequer é acionista da companhia.

Alegou também que a decisão deveria ser suspensa em razão do risco de causar graves danos às suas atividades, advindos de possíveis ressalvas nos balanços, impactos nos contratos de financiamento com o BNDES, questionamentos de auditores e fuga de investidores, situações que poderiam afetar a continuidade da prestação do serviço público de geração de energia.

Falta de comprovação

Ao indeferir o pedido, a ministra Laurita Vaz, presidente do STJ, destacou que o malferimento à ordem e à economia pública não ficou caracterizado, tendo em vista a ausência de comprovação dos argumentos apresentados pela concessionária.

Segundo ela, as alegações veiculadas não se fizeram acompanhar de prova categórica de que as determinações contidas na decisão do TJRJ causarão o colapso alegado no pedido.

Além disso, a ministra ressaltou que os argumentos da concessionária ultrapassam os limites em que deve se fundamentar a suspensão da liminar, sendo inviável, em sede de suspensão, o exame do acerto ou desacerto da decisão atacada.

Conforme explicou a presidente do STJ, a suspensão de liminar é medida excepcional, cabível apenas quando a decisão impugnada representa risco de grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia públicas, conforme previsto no artigo 4º da Lei 8.437/92.

Esta notícia refere-se ao(s) processo(s):SLS 2228

Leia também:

comentários

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 20/01/2017 ás 09:23:00

Teori Zavascki foi ministro do STF por quatro anos

Teori Zavascki tinha 68 anos. Nasceu em 15 de agosto de 1948, em Faxinal dos Guedes (SC). Viúvo desde 2013, ele deixa três filhos.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 19/01/2017 ás 21:13:00

NOTA DE PESAR DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO ESTADO DE RONDÔNIA – AMERON PELA MORTE DO MINISTRO DO STF TEORI ZAVASCKI

Homem de sólido caráter e indiscutível saber jurídico, destacava-se pela retidão com que sempre conduziu processos de sua responsabilidade, notadamente pela discrição no exercício da judicatura.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 19/01/2017 ás 20:42:00

Senado precisará confirmar indicação de substituto de Teori Zavascki

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) é a responsável por analisar as escolhas de novos ministros do STF.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 19/01/2017 ás 20:02:00

Dono de consultório odontológico acusado de torturar funcionário deve permanecer preso

Há informações no processo de que ele e seu sócio encontraram o funcionário com os pés sobre a mesa. Advertido, o empregado teria retrucado, o que deu início a uma discussão.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 19/01/2017 ás 19:59:00

Advogado acusado de enganar clientes continua impedido de atuar em novas causas

Além de proibi-lo de se ausentar da comarca e de determinar seu comparecimento periódico em juízo, o TJPB impôs ao advogado a suspensão parcial do exercício profissional.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 19/01/2017 ás 19:56:00

Nota de pesar - Morte do ministro Teori

O ministro Teori Albino Zavascki nasceu na cidade de Faxinal dos Guedes (SC), a 520 km da capital catarinense, em 15 de agosto de 1948.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 19/01/2017 ás 19:51:00

Presidente do STF lamenta a morte de Teori Zavascki, \"um dos mais brilhantes juízes da história da nossa Justiça\"

A morte põe fim a uma Vida, mas não acabam a amizade, a convivência nobre, gentil e fecunda do amigo dos amigos. Nem a generosidade com todos que caracterizava o ministro Teori Zavascki.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 19/01/2017 ás 12:23:00

Emeron abre inscrições para Especialização em Direito para a Carreira da Magistratura e Programa de Residência Judicial

A Escola da Magistratura do Estado de Rondônia (EMERON) publicou no Diário da Justiça de ontem, 18, os editais para a turma 2017...

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 19/01/2017 ás 11:41:00

Acusados de mortes de sem-terra em Cujubim serão levados a júri popular em Ariquemes

A sentença de pronúncia foi publicada nessa segunda-feira, 17.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 17/01/2017 ás 12:58:00

Procurador pode aguardar fim de processo para assumir novo cargo sub judice

O candidato concorreu sub judice, amparado em liminar concedida pela ministra do STJ Regina Helena Costa, e ficou em 20º lugar.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2017 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com