Em Linhas Gerais: Para recuperar a economia de Porto Velho, Hildon precisará atrair novos investimentos privados e estancar a deterioração das empresas existentes

​Gessi Taborda 

Publicada em 25 de November de 2016 às 08:47:00

getaco@gmail.com

 

FILOSOFANDO

A bebida consola, o homem bebe, logo o homem precisa ser consolado.” PAULO MENDES CAMPOS (1922/1991), escritor nascido em Minas Gerais.

 

PRESENÇA

É para sentir já o gostinho com o cargo. Essa foi a explicação de Jorge (aposentado da Petrobrás), um frequentador da Câmara Municipal, sobre a presença de vereadores eleitos na casa. A pouco mais de um mês para o começo do mandato; vereadores eleitos na capital frequentam as sessões para irem se ambientando ao clima do Legislativo.

 

MUDANÇA

O Partido Trabalhista Nacional (PTN) mudará de nome no mês que vem e passará a se chamar “Podemos”. O nome é uma referência ao slogan de campanha de Barack Obama, “yes, we can”.

 

RIQUÍSSIMO

Um riquíssimo empresário rondoniense, com várias empresas no setor de autopeças espalhadas por Rondônia e região, inspirado nas eleições de Hildon Chaves em Porto Velho, do bilionário Donald Trump nos Estados Unidos e de João Dória em SP, não descarta disputar o governo rondoniense em 2018. Como não é filiado a partido nenhum, começa a ouvir consultores sobre a legenda a ser escolhida.

 

PATINANDO

Movimentos populares que surgiram nos últimos anos com a bandeira da luta pela corrupção tentam encontrar o rumo. Diante da malandragem política, como o atualíssimo caso em que vereadores fazem todas as manobras possíveis para aumentar os próprios salários, os movimentos que foram para as ruas fechando o Espaço Alternativo, estão patinando e não sabem o que fazer. Aliás, não se vê mais passeatas ou discursos inflamados contra a corrupção, embora ela esteja longe de acabar e continue rondando as instituições políticas.

 

MENOS

Relatório da auditoria do Tribunal de Contas do Estado sobre o transporte coletivo da capital vai comprovar uma realidade sentida diariamente pelos usuários do péssimo serviço feito pelo “Sim”. O número de ônibus disponíveis está muito aquém daquele previsto no tal “contrato emergencial” usado por Nazif para substituir o antigo “monopólio”.

Pelo que se fala, Mauro Nazif vai, no mínimo, responder pecuniariamente pelo descaso. Serão multas pesadíssimas para punir o prefeito que sai pelas lambanças cometidas nesse importante segmento.

 

UMA VERGONHA

A cidade de Vilhena sempre se vangloriou de ter uma população “mais empreendedora” e mais “politizada” entre as outras cidades rondonienses, pelo fato de ter sido povoada principalmente por migrantes do sul brasileiro. Mas na realidade os resultados de suas escolhas eleitorais nos últimos anos desmentem essa visão. Vilhena se comporta como uma vergonha para os demais rondonienses.

 

NA CADEIA 

É, certamente, a única cidade do estado que comemorou nessa semana o aniversário de fundação com a maioria de suas “autoridades” presas por corrupção. 

E essa imagem não melhora nada em relação à nova gestão que toma posse em janeiro. Afinal, a prefeita eleita faz parte do clã que se tornou sinônimo de corrupção no estado, os Donadons. E ela ainda está na alça de mira da Justiça, não havendo nenhum garantia de que vá manter-se tranquilamente no comando da prefeitura.

 

NECESSÁRIO

Para obter sucesso no objetivo de recuperar a economia de Porto Velho, destroçada por 12 anos de gestores completamente incompetentes, o prefeito Hildon Chaves precisará na sua equipe de alguém capaz de atrair novos investimentos privados e criar algum estímulo, algum mecanismo para estancar a deterioração das atividades nas empresas existentes. 

O nome escolhido para essa difícil missão precisará executar um programa entre área econômica e área jurídica do governo municipal, agilizando procedimentos e reduzindo drasticamente a burocracia. O investimento do setor privado é o motor fundamental para melhorar e animar a economia. Afinal, como o próprio Hildon sabe, não é com despesa do governo (em qualquer nível) que o crescimento virá.

 

XARADA

Mesmo sem a divulgação dos nomes, não é difícil saber quem são os senadores denunciados por Zé Rover (PP), prefeito de Vilhena denunciado por corrupção no último dia 10, que está preso em Porto Velho. A delação feita com o objetivo de reduzir sua previsível pena foi publicada no matutino que tem como dono o senador Acir Gurgacz. Assim é presumível que a denúncia de Rover deixou de lado o senador do PDT.

 

MAMBEMBE

A despeito de possuir entre seus parlamentares quadros de qualidade, ainda tem muita força na Assembleia Legislativa parlamentares reféns do estilo mambembe de fazer política, promovendo o desfile de ações mais voltadas para o simples fisiologismo do que para a representação popular e, consequentemente, a defesa dos reais interesses do povo.

E assim, mais uma demonstração de que a destrambelhada política continua no “menu” do parlamento acontecerá na próxima segunda feira. Dezenas e dezenas de láureas do legislativo serão entregues a integrantes (indiscriminadamente) da PM pelo simples fato deles terem cumprido com as obrigações inerentes às funções de seus cargos.

 

NO RIO 

Estas decisões corporativas não melhoram em nada a qualidade dos serviços prestados pelos agraciados. São apenas pretextos para garrotear eleitores com vistas ao próximo pleito. É a clara comprovação de atraso e subdesenvolvimento da representação política estadual que, espera-se, seja afastada na eleição de 2018.

Fato semelhante acontecia na Assembléia do Rio. Agora o parlamento carioca – para reduzir despesas – decidiu suspender essa entrega indiscriminada de títulos, medalhas e outra láureas que geravam despesa (como acontece aqui também) com coquetéis e tradicionais bocas-livres. É... o povo precisa mesmo, com o seu voto, afastar da via pública os políticos nefastos e que ocupam lugar no legislativo sem atender as verdadeiras demandas da sociedade.

 

PAPAGAIO

E lá estava mais uma vez desempenhando o seu papel de papagaio de pirata o deputado Lindomar Garçom. Dessa vez aproveitou a cobertura da quarta feira realizada pela TV sobre a discussão e votação da proposta do relator Ônyx Lorenzoni (DEM-RS) no projeto de medidas contra a corrupção (PL4850/16) para repetir a mesma tática usada quando se votou o impeachment de Dilma Roussef.

 

ALIVIOU

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu, no início da tarde de quinta-feira (24), revogar a prisão do ex-governador Anthony Garotinho, que cumpria pena domiciliar. A Corte determinou que Garotinho pague uma fiança de R$ 88 mil para ser solto.