06/10/2016 - 13h15min - Atualizado em 06/10/2016 - 13h15min

Estudantes, Professores e Técnicos do IFRO realizam protesto contra a PEC 241

Estudantes dão recado à Bancada Federal para que votem contra.

Cerca de 800 estudantes e servidores do IFRO de todo o Estado (Ariquemes, Cacoal, Colorado D’Oeste, Ji-Paraná, Porto Velho, Vilhena, Guajará-Mirim e Jaru) realizaram no final da tarde desta quarta-feira, 05 de outubro, um Ato Público no centro de Vilhena para protestar contra os cortes de verbas no Serviço Público, sobretudo nas verbas da Educação e Saúde. O protesto, que se estendeu até à noite, também foi acompanhado por pais, ex-alunos e estudantes de outras escolas da rede pública estadual, Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e do SENAI.

Aproveitando que inúmeros estudantes participam do IV CONPEX (Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão) do IFRO, o Grêmio Estudantil do IFRO – Vilhena, que desde a semana passada já está mobilizando contra a PEC 241, organizou o movimento que teve adesão massiva dos participantes do Congresso. Com faixas, cartazes e muita disposição os manifestantes chamaram a atenção da sociedade para os impactos previstos no serviço público, principalmente no que diz respeito à Saúde e à Educação.

Para Júlia Tonial, do Curso Técnico Integrado de Edificações (IFRO-Vilhena), a “PEC 241 representa o sucateamento da Educação e da Saúde. Não entendemos como o povo pode ser penalizado diante de tantos desmandos nacionais. Porque os deputados e senadores não reduzem os salários? Porque se deu um aumento absurdo para juízes, senadores e deputados? E as Aposentadorias especiais? Enquanto isso querem que o povo pague mais uma vez a conta?”, desabafa a estudante.

Tiago José, do Curso Técnico Integrado de Informática (IFRO-Vilhena) há muito mais por trás disso tudo. Segundo ele, “além da Educação, a saúde do povo será atingida e sentida em todo o Brasil. Alertamos para o fato de que cerca de 2/3 do orçamento do Ministério da Saúde são transferências para que Estados e Municípios financiem despesas com as Unidades Básicas de Saúde, hospitais, exames laboratoriais e de imagens, medicamentos, vigilância epidemiológica e sanitária, entre outros. Ou seja, não se trata ‘apenas’ de reduzir os gastos federais em saúde, mas sim de provocar uma redução que impactará principalmente o atendimento à população nos Estados, Distrito Federal e Municípios”. O estudante complementa, ainda, “O PL 257, a reestruturação do Ensino Médio e o Escola Sem Partido, também fazem parte desse ataque à educação pública e laica. Querem acabar com o conhecimento!”, conclui.

PEC 241, segundo os manifestantes, comprometerá toda perspectiva de expansão prevista para o IFRO“Sem investimentos e com cortes de verbas, será impossível garantir – dentro do plano de expansão do Instituto – a oferta de mais vagas e de novos cursos. Os campi recém-instalados, como o de Guajará-Mirim, Jaru ou a Unidade Avançada de São Miguel do Guaporé serão os mais penalizados”, afirma o professor Cleyton Pereira, do SINASEFE-Vilhena.

Outra preocupação é com as atividades de Pesquisa e Extensão, que dentro da proposta da PEC 241, também serão impactadas. “Para o governo, a pesquisa e a extensão não são necessárias. Se uma das missões dos Institutos Federais é produzir tecnologia, isto se dá por meio da pesquisa. Com o corte de verbas, estas atividades e a qualificação docente para que possamos avançar na oferta de cursos de graduação e pós-graduação Stricto Sensu (Mestrado e Doutorado) será um sonho distante”, afirma o professor de História, Márcio Martins, do campus Vilhena."Querem impedir os Institutos de produzir ciência!", afirma o professor.

Os estudantes, de ​​todo o Estado, em assembleia, ao final da manifestação conclamaram os presentes a realizar uma campanha massiva nas redes sociais e nas escolas contra a PEC 241 e divulgarão o posicionamento de deputados e senadores da bancada rondoniense, pressionando para que votem contra o projeto de emenda constitucional. O encerramento do ato foi feito com um Sarau com a apresentação de várias compositores (estudantes e professores).

As mobilizações contra os cortes de verba da Educação e outras áreas sociais devem ganhar força na próxima semana, já que a organização estudantil pretende mobilizar escolas da rede pública e Universidade Federal.

ENTENDA A PEC 241/2016

Chamada de novo regime fiscal pelo governo interino, a PEC 241/2016 limita as despesas primárias da União aos gastos do ano anterior corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o que significa que a cada ano, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) vai definir, com base na regra, o limite orçamentário dos poderes Legislativo (incluindo o Tribunal de Contas da União), Executivo e Judiciário, Ministério Público Federal da União (MPU) e Defensoria Pública da União (DPU). Como o IPCA só é conhecido após o encerramento do ano, a PEC 241 determina que, para calcular o limite, o governo estimará um valor para a inflação, que será usado na elaboração dos projetos da LDO e da lei orçamentária. Na fase de execução das despesas, no ano seguinte, será usado o valor final do IPCA, já conhecido, procedendo-se aos ajustes nos valores dos limites.

Caso haja descumprimento ao limite de gastos, o órgão ou Poder Público serão penalizados nos anos seguintes com a proibição de medidas que aumentem o gasto público, como o reajuste salarial de servidores públicos; criação de cargo, emprego ou função; alteração de estrutura de carreira; à admissão ou à contratação de pessoal, a qualquer título, ressalvadas as reposições de cargos de chefia e de direção que não acarretem aumento de despesa e aquelas decorrentes de vacâncias de cargos efetivos; e à realização de concurso público.

Um estudo realizado pela subseção do DIEESE utilizou a regra prevista pela PEC 241 para calcular qual seria o orçamento de educação e saúde públicas desde 2002, caso a proposta estivesse em vigor em 2001. Os números são alarmantes. No ano de 2015, por exemplo, ao invés dos R$ 75,6 bilhões que foram investidos em educação, as medidas previstas na PEC fariam com o que o orçamento fosse de R$ 29,6 bilhões – uma redução de R$ 46 bilhões. De 2002 para 2015, as regras da PEC fariam com que o orçamento da educação acumulasse perdas de R$ 268,8 bilhões – o que representaria um corte de 47% em tudo o que foi investido em educação nesses 14 anos.

SINASEFE

Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica.

Seção Sindical Vilhena - RO

Leia também:

comentários

COMENTÁRIOS


Avatar de ALMIR

Postado por ALMIR em 07/10/2016 às 14:29

Ja tava tudo programado. Primeiro rejustar os salários do jUdiciário. Deputados e senadores. Depois congelar os outros benefícios sociais. Verbas da educação e saúde e salários daquele que recebem menos. Isso tudo é muito mais. iso por 20 anos....

66.249.85.26
Avatar de JOSE

Postado por JOSE em 06/10/2016 às 21:31

FORA DILMA!

66.249.85.28

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:42:00

Deputado apresenta PEC 303/2017 que poderá transpor servidores até 1991

Além dos servidores da administração direta , o texto contemplou as autarquias, entre outros.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:31:00

Capixaba vai ao Planalto e a Ministério exigir suspensão da compra de café do Vietnã e Temer atende o pedido

parlamentar disse que o Ministro da Agricultura precisa entender que o café brasileiro é um dos melhores do mundo e o Estado de Rondônia oferece o melhor café, o Conilon.

GERAL | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:28:00

BAILINHO DA AURORA É OPÇÃO DE CARNAVAL PARA CRIANÇAS NA CAPITAL

Evento acontece de 25 a 28 de fevereiro, das 16h ás 19h, na Praça de Eventos Calama, do shopping.

GERAL | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:25:00

Prefeitura estuda calçadão da EFMM até Mercado do Pescado

Recursos para a obra estão assegurados por emenda já empenhada do senador Ivo Cassol.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:23:00

Cleiton Roque discute emendas para melhorias no município de Primavera

Deputado se reuniu com o prefeito Eduardo Bertoletti para falar sobre possíveis emendas para o município.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:18:00

Deputado Lazinho agradece por ações do Governo do Estado em Jaru

Acordo vai garantir construção e reforma de pontes em várias linhas da região.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:16:00

Aélcio diz que o Brasil está retomando crescimento

Segundo o parlamentar, o crescimento econômico já está tomando corpo.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:13:00

Airton Gurgacz visita escola e atende comunidade de Presidente Médici

Comunidade solicitou melhorias na estrutura da escola e das estradas.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:11:00

Comissão de Agropecuária da Assembleia faz balanço de dois anos

O fortalecimento do setor foi avaliado como altamente positivo pelos membros da comissão.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:08:00

Comissão debate educação integral e convoca secretário

Titular da Educação foi convidado a expor planejamento na próxima reunião.

GERAL | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:05:00

Prefeitura de Porto Velho terá ponto facultativo segunda e terça

Decreto do prefeito dr Hildon mantém serviços essenciais de saúde e limpeza.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 15:02:00

Capixaba convida Michel Temer para entrega de casas populares e visita a capital do café

Nesta quarta, 22/02, o jato da FAB  pousou no aeroporto Capital do Café trazendo a equipe de governo e de inteligência para vistoriar o local onde o Presidente da República desembarcará .

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 14:58:00

Maurão e Rosangela asseguram mais de R$ 2 milhões para Vilhena e Pimenteiras

Deputados receberam prefeito de Pimenteiras e presidente da Câmara de Vilhena.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 14:54:00

Presidente da Assembleia recebe vereadora de Ministro Andreazza

Zélia Maria Oliveira solicitou convênio de R$ 600 mil para reformar escolas municipais.

POLíTICA | matéria escrita em 22/02/2017 ás 14:52:00

No DER, Lazinho pede melhorias para ruas e linhas de Jaru

Parlamentar é acompanhado por prefeito e vereadores.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2016 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com