03/01/2017 - 03h07min - Atualizado em 03/01/2017 - 03h07min

Meta de combate à corrupção já foi atingida por dois tribunais em 2016

Além do TJDFT e do TJAC, os Tribunais de Justiça do Estado de Rondônia (TJRO) e do Paraná (TJPR) também conseguiram alcançar, ainda em setembro, a meta de julgamento de crimes contra a administração pública.

 

Corrupção

Corrupção

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e o Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC) conseguiram cumprir, já em setembro de 2016, a meta fixada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de julgamento de processos relacionados ao combate à corrupção. Conhecida como Meta 4 de 2016, ela prevê o julgamento de percentuais do estoque de processos de improbidade administrativa e de crimes contra a administração pública que tramitam na Justiça Estadual, na Justiça Federal, na Justiça Militar dos Estados e da União e no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Segundo relatório parcial de cumprimento das Metas Nacionais, produzido pelo CNJ com dados de janeiro a setembro de 2016, tramitam nestes ramos de Justiça 131.081 ações desta natureza, distribuídas entre os anos de 2013 e 2014. Desse total, 51.999 são ações de improbidade administrativa e 79.082 referem-se a crimes contra a administração pública. Até setembro, já haviam sido julgados 18.880 ações de improbidade administrativa e 41.939 crimes contra a administração pública.

Entre os segmentos a que a meta se aplica, a Justiça Militar Estadual é a que apresentou até setembro o maior percentual de cumprimento: 89,28%. Ainda de acordo com o levantamento, o percentual médio de cumprimento da meta na Justiça Estadual, até setembro, foi de 66,99% e na Justiça Federal foi de 32,95%. Na Justiça Federal e na Justiça Militar, no entanto, nenhum tribunal havia alcançado 100% de cumprimento da Meta 4 até setembro.

Na Justiça Estadual, a meta era julgar 70% das ações de improbidade administrativa e das ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública distribuídas até o final do ano de 2013. No Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) esses dois tipos de ações totalizavam 1.368 processos, sendo 156 de improbidade administrativa e 1.212 de crimes contra a administração pública. De janeiro a setembro deste ano, 1.199 foram julgados, o que representa o cumprimento de 125,21% da meta estabelecida.

No TJDFT, a estratégia de enfrentamento à meta começa já no primeiro grau, com a classificação e identificação dos processos que são alvo da meta. Além disso, é feito um acompanhamento mensal da tramitação dessas ações, para que elas possam chegar ao último trimestre do ano em condições de serem julgadas. Estando prontas para julgamento, o Núcleo Permanente de Gestão das Metas de Primeiro Grau traça uma estratégia de enfrentamento do acervo e pede que os processos sejam enviados para sentença. Os processos então são recebidos, examinados e julgados no prazo de 60 dias.

“Trata-se de uma meta estratégica e das mais relevantes, que mereceu desde o início nossa máxima atenção, tendo em vista que se destina a fomentar o julgamento das graves infrações cometidas contra a administração e das ações que buscam, justamente, a responsabilização dos agentes e a recomposição dos prejuízos ao erário”, afirmou o juiz Gestor das Metas Nacionais de Primeiro Grau do TJDFT, Luis Martius Holanda Bezerra Junior.

No Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC) o montante de ações dessa natureza, ainda pendente de julgamento no início de 2016, era de 254 processos (107 de improbidade administrativa e 147 de crimes contra a administração pública). Até setembro, foram julgados 68 processos de improbidade administrativa e 117 de crimes contra a administração pública. Com isso, o cumprimento da meta no TJAC alcançou 104,05%.

Outros tribunais - Além do TJDFT e do TJAC, os Tribunais de Justiça do Estado de Rondônia (TJRO) e do Paraná (TJPR) também conseguiram alcançar, ainda em setembro, a meta de julgamento de crimes contra a administração pública, enquanto o Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (TJRS) superou a meta de julgamento de ações de improbidade administrativa.

No TJPR, uma das estratégias adotadas foi priorizar a digitalização dos processos atingidos pelas Metas do CNJ. Dessa forma, no início de 2016 todos os processos relacionados à Meta 4 já estavam em formato digital. “Essa ação contribuiu significativamente para conferir celeridade ao trâmite desses processos”, afirmou o juiz auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça do TJPR, Jefferson Alberto Johnsson.

Além disso, ao início de cada gestão, o Núcleo de Estatística e Monitoramento da Corregedoria do Tribunal verifica o andamento destes processos e entra em contato com os juízes responsáveis pelas comarcas que apresentam baixo desempenho no julgamento destas ações, a fim de auxiliar os magistrados a cumprirem a meta.

Tatiane Freire
Agência CNJ de Notícias

Leia também:

comentários

COMENTÁRIOS


Avatar de JOAO ROBERTO

Postado por JOAO ROBERTO em 03/01/2017 às 09:58

SE OS CORRUPTOS FOSSEM JULGADOS E PRESOS E O PRODUTO DO ROUBO DEVOLVIDO AS PREFEITURAS, ESTADO E UNIAO E DEMAIS ENTES ROUBADOS, ACABAVA A LADROAGEM, MAS O JUDICIARIO NAO JULGA E SE JULGA NAO PRENDE E SE PRENDE NAO PEGA DE VOLTA O DINHEIRO ROUBADO, MAS SE TUDO ISTO MUDAR ,A JUSTICA JULGAR, PRENDER E PEGAR DE VOLTA A COISA ROUBADA AI ACABA COM OS ROUBADORES E O BRASIL AGRADECE,ISTO E SE MUDAREM AS LEIS POIS HOJE A COISA E COMO E O PODEROSO SEMPRE TEM ADVOGADO BOM E NAO VAI PARA CADEIA FACIL E SO O MORO QUE TEM FEITO ISTO COM GENTE RICA E PODEROSA . O BRASIL TEM MUDADO E ESPERO QUE AS PROXIMAS GERACOES VIVERA EM UM PAIS MENOS LADRAO E MAIS JUSTO.

177.5.71.206

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/01/2017 ás 11:36:00

Professor acusado de pedofilia tem liminar negada

Um professor de informática acusado de prática de pedofilia contra aluno de 13 anos deve continuar preso preventivamente.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/01/2017 ás 11:34:00

Valor do DPVAT será descontado de indenização a idosa que se acidentou em ônibus

O juiz de primeira instância julgou improcedente o pedido de indenização.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/01/2017 ás 11:32:00

Defensor público só pode ser designado após esgotamento de tentativas de localizar acusado

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, deferiu pedido de liminar para determinar a realização de diligências para localizar uma mulher acusada de cometer crimes de injúria e difamação.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/01/2017 ás 11:31:00

Furto de celular em hospital não gera dano moral

O furto de aparelho celular do paciente no interior do hospital onde estava internado não é suficiente para gerar dano moral.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/01/2017 ás 11:25:00

Presidente do TJRO apresenta relatório de atividades da presidência no ano de 2016

A maioria das propostas do Plano de Gestão do Biênio 2016-2017 foi cumprida e as demais estão em andamento.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/01/2017 ás 10:45:00

Justiça Federal atende OAB e determina aplicação correta de recursos dos fundos de telecomunicações

O processo contra a União e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foi apresentado por provocação do presidente nacional da Ordem, Claudio Lamachia.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/01/2017 ás 15:34:00

Santo Antônio Energia deve pagar auxílio às famílias do assentamento Joana D\

Recomendação do MPF/RO e MP/RO aponta que a proliferação do mosquito Mansonia tem prejudicado a saúde, o trabalho, o lazer e a qualidade de vida dos moradores do Joana D'Arc I, II e III.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/01/2017 ás 15:33:00

MPF/RO consegue sentença favorável em ação contra Unir

Universidade terá que cumprir medidas que garantam a imparcialidade na correção das provas .

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/01/2017 ás 12:20:00

Justiça Rápida faz triagens em Itapuã e Triunfo no mês de fevereiro

De 21 a 24 de fevereiro, a população da região de Itapuã do Oeste e do distrito de Triunfo, em Candeias do Jamari...

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/01/2017 ás 12:16:00

Comissão Permanente avalia documentos do Poder Judiciário de Rondônia

O Poder Judiciário de Rondônia iniciou a implementação da política de gestão documental.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2017 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com