Pensando bem, Rondônia até que vai bem...

Gessi Taborda

Publicada em 06 de março de 2017 às 08:05:00

getaco@gmail.com

FILOSOFANDO

“Na política não há amigos, apenas conspiradores que se unem.” VICTOR LASKY (1919/1997), jornalista e escritor americano. Foi o primeiro a escrever um livro de crítica ácida contra o presidente John F. Kennedy (JFK The Man And The Myth), lançado em 1963.

AMANHÃ

No Congresso, o Carnaval não acabou. A folga só acaba na terça-feira, ou seja, amanhã.

CONSENSOS

É do que se fala nas coxias do palco político. São três consensos na política rondoniense no momento: 1 – 2018 está ai, mas há muita água para rolar pela ribanceira. 2 – Candidato de verdade à sucessão estadual só Acir Gurgacz, o único que com cacife financeiro para bancar a aventura. 3 – É claro que a disputa no plano nacional vai influenciar a disputa no estado de Rondônia e como o cenário federal é dos mais difusos, mirando 2018 torna-se mais que isso, fica confuso.

PENSANDO BEM

Levando em consideração que estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul penam com a falência dos cofres públicos até que Rondônia vai bem. A julgar pelo movimento enorme de foliões no carnaval de rua de Porto Velho dá para acreditar que a crise em Rondônia não foi tão sentida assim.

Segundo consta, Confúcio Moura vai apresentar vários projetos do Executivo visando o ajuste fiscal a que se comprometeu com a União para rolar dívidas como a do Beron. O negócio é reduzir gastos com custeio sem, como disseram fontes, reduzir sem provocar demissão de pessoal como aconteceu no lúgubre governo do José Bianco.

RECONHECENDO

Blairo Maggi, ministro da Agricultura muito ligado a Rondônia por ser o principal escoador de grãos (soja) pelo rio Madeira, com operações de embarque em Porto Velho, fez a seguinte afirmação: "Dinheiro que estava na mesa, de uma grande colheita, está indo para o ralo, nos buracos das estradas" lamentou o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. "Dá pena de ver."

O setor estima que o prejuízo nessa safra seja de R$ 350 milhões, segundo informou o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Carlo Lovatelli. "Estamos queimando notas de cem dólares, uma atrás da outra", afirmou o executivo.

NÃO DÁ PARA ESQUECER

O prefeito Hildon Chaves – dizem os potins – reduziu o frenético volume das atividades que marcaram o mês de janeiro e o princípio de fevereiro. A buraqueira que estava sendo combatida com frenesi até nas ruas do centro estão voltando em função das chuvas torrenciais. Porto Velho sempre sofreu com prefeitos inertes.

A pior coisa para um grupo eleito é a acomodação. O veneno que vira fermento do ‘status quo’. O lamento da acomodação é o alimento da provocação.

GANHANDO FORÇA

O antigo tititi sobre substituições no governo de Hildon Chaves está mais próximo de ser confirmado. Pelo que vazou, o setor de educação está na alça de mira das mudanças que, como se disse, pode chegar até a setores próximos do próprio chefe do Executivo, agastado com as pegadinhas transformadas em crises e polêmicas desgastantes.

NÃO ACONTECEU

A ideia de que Antônio Ocampo colocaria a Cultura no centro do projeto de desenvolvimento de Porto Velho ainda não aconteceu. E não é por falta de apoio do prefeito da capital rondoniense. Pelo visto está faltando diálogo com a classe dos artistas e com “intelectuais” da cidade.

PRODUTO PRINCIPAL

Tanto em produção, quanto em valor de produção, a soja é o principal produto agrícola de Rondônia e a cultura está se expandindo, especialmente na região Central e Norte do estado. Segundo o pesquisador da Embrapa Rondônia, Vicente Godinho, isso ocorre devido aos melhores preços das terras nestas regiões e pela proximidade com o porto “A saca de soja em Porto Velho, por exemplo, custa no mínimo oito reais a mais do que em Vilhena. Isso por conta da diferença do frete para chegar até o porto. Esta diferença conta muito no bolso do produtor”, explica Godinho.

EMBRAPA

Embrapa tem um importante papel regulador ao disponibilizar diferentes alternativas tecnológicas para o produtor. A presença da Embrapa com cultivares competitivas de soja nos segmentos de transgênica (RR) e convencional é crucial para o País. Hoje a Empresa tem estrutura e conduz vários programas específicos de melhoramento de soja transgênica, bem como convencional, ao mesmo tempo.

 “A Embrapa tem um trabalho de melhoramento de soja em Rondônia em que os testes são realizados em diversos locais para podermos identificar as cultivares com maior potencial e indicarmos aos produtores do estado", explica o pesquisador da Embrapa, Rodrigo Brogin.

MUTIRÃO

Por determinação do prefeito Hildon Chaves, nesta segunda feira a Operação Mutirão chega no bairro Pedrinhas, um dos mais tradicionais da capital rondoniense, incluindo todo o entorno do complexo do Palácio Rio Madeira e em seguida começam os trabalhos pelas vias principais da zona sul.

OTIMISMO

O período que antecede a Páscoa, a Quaresma, movimenta o comércio de peixes nos primeiros dias. Nesta época, muitos optam por se abster do consumo da carne vermelha. A expectativa do setor é otimista.

QUEDA

Difícil de acreditar, mas tem explicação. Segundo dados da Anatel, houve queda em cerca de 4% o volume de reclamações de clientes contra operadoras de TV paga em 2016, na comparação com 2016. O órgão diz que as queixas baixaram de 4,1 milhões para 3,9 milhões. Talvez seja bom lembrar, só para contextualizar, que o setor de TV paga perdeu cerca de 1 milhão de assinantes nos últimos 15 meses, aproximadamente.

MUDANÇAS

Triste país o nosso. Somente o povo para fazer as nossas instituições funcionarem. Se todos tiverem o mesmo entusiasmo, que tiveram no Carnaval, com milhões de pessoas indo para as ruas, aí sim as mudanças virão pra valer.