Mudanças de famílias para o Residencial Porto Madero I, em Porto Velho, começam na próxima segunda-feira

A partir a próxima segunda-feira (15), famílias contempladas para morar no Residencial Porto Madero I terão prazo de 30 DIAS para se mudarem dos atuais domicílios.

Publicada em 13 de August de 2016 às 10:25:00
Famlias podem iniciar mudanas a partir de segunda-feira    Famílias podem iniciar mudanças a partir de segunda-feira

Sentada numa cadeira à espera do comprovante do imóvel, a grávida de nove meses Dalva Avelaneda, 30 anos, prepara-se para dar à luz a Gabriel. Muito mais do que o período de gestação, ficou três anos aguardando a vez para obter o imóvel.

“Eu morava na invasão [no Bairro Universitário, zona leste de Porto Velho], sei o que é ficar sem luz e sem água, me sinto abençoada”, diz a diarista.

Em seguida, telefona ao marido Francisco Aurélio, 33, motorista de uma distribuidora de carne, apressando-o para ir assinar o documento.

A partir a próxima segunda-feira (15), famílias contempladas para morar no Residencial Porto Madero I terão prazo de 30 DIAS para se mudarem dos atuais domicílios.

Os 304 apartamentos serão ocupados diariamente das 8h às 13h. Serão permitidas 38 mudanças por dia, informou a responsável pelo serviço social da Semur, psicóloga Kellen Renata da Silva Santos.

A exemplo de outros residenciais, elas próprias deverão contratar o frete de caminhões ou caminhonetes.

Joenilson Brito foi um dos primeiros governadores a receberem as chaves da casa nova das mos do governador

Joenilson Brito foi um dos primeiros moradores a receberem as chaves da casa nova

Homens e mulheres formaram filas nas mesas ocupadas por funcionários da Caixa Econômica Federal [agente financeiro do Programa Minha Casa Minha Vida] e da Secretaria Municipal de Regularização Fundiária e Habitação (Semur), para receber comprovantes de residência.

No microfone, Kellen Santos repetiu o que já informara a diversas pessoas. “Vocês poderão pagar no dia 20 a parcela do condomínio do mês de agosto. A Caerd e a Eletrobras têm prazo de cinco dias para ligar água e energia elétrica”.

Ana Basílio, 67, quatro filhos, mora até agora no Bairro Aponiã com o neto Aldonei José, 20, instalador de centrais de ar. Veio de Rio Branco (AC) há 30 anos e diz sentir-se aliviada, porque perdeu convocações anteriores da coordenadoria de habitação da Secretaria Estadual da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas). “Perdi até de ouvir no rádio”, lamenta.

Ana cria outro neto, Vinícius Iago, 13. Na fila da documentação, ela comemora: “Vou demorar um mês pra me mudar, mas agora está bom, só assim vou morar num lugar sem poeira”.

Joemilson Brito da Silva, que até então vive com a filha Julien, 22, e dois netos – Nicole e Kaiki  – madrugou no pátio da Casa de Shows de Talismã, para conseguir se inscrever no Programa Morada Nova/Minha Casa Minha Vida.

Só não contava com o atropelamento sofrido 11 anos atrás na confluência da Avenida Jatuarana [zona sul da Capital] com a BR-364, quando trafegava de bicicleta.

Montador de piscinas em 2005, Joemilson relata que o condutor do automóvel fugiu do local, onde ficou estirado no chão até a chegada do carro do Samu.

Com a coluna vertebral quebrada e “encostado” pelo INSS, ele enfrentou a fase crítica, recuperando-se o quanto pôde. Não escapou da cadeira de roda, porém, auxiliado por amigos, trabalha atualmente na perfuração de poços. Ele foi um dos primeiros moradores a receber as chaves da nova moradia das mãos do governador Confúcio Moura.

Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Esio Mendes